Empresas aceleram métodos de produção. O setor de produção tem se tornado uma área cada vez mais influente no dia a dia das empresas. Diversas estratégias são criadas a fim de que a companhia se destaque no mercado, propiciando assim uma produção mais eficiente e de sucesso nos planejamentos estratégicos.

A partir do momento em que se tem conhecimento das vantagens oferecidas pela adoção desses métodos, torna-se fundamental identificar qual tipo de produção se encaixa em cada empresa. A produção enxuta, por exemplo, tem se tornado uma ferramenta muito útil para determinadas organizações.

Porém, é necessário que um estudo seja feito anteriormente para saber se as condições estabelecidas por tal conceito se encaixam e serão capazes de proporcionar as vantagens competitivas desejadas pela empresa.
A produção enxuta pode ser resumida por três conceitos principais: menos recursos, eficiência produtiva e flexibilidade. Segundo José Ignácio Villela Jr., coordenador do curso de Engenharia de Produção Enxuta do Instituto de Educação Tecnológica (IETEC), a base desse tipo de produção está centrada na eliminação de desperdícios. “A vantagem para a empresa começa a partir do momento em que ela elimina fatores que não possuem tanto valor para a produção. Nesse momento, há um ganho tanto de custo quanto de produtividade”, explica.

Com a adoção de uma produção como essa, o consumidor também sai ganhando. A agilidade e a alta qualidade dos produtos fazem parte desse processo inovador, que é capaz de enfrentar mudanças conjunturais e alterações repentinas do mercado. “O atendimento às necessidades fica mais rápido, eficaz e, além disso, a empresa passa a ter condições de trabalhar com uma variedade ainda maior de produtos”, afirma.
Mesmo com os resultados positivos conquistados pelas empresas que adotam o processo enxuto, a produção em massa ainda domina o mercado mundial. “Várias organizações estão migrando para esse novo conceito, porém, essa é uma mudança que demanda, no mínimo, cinco anos para que a empresa consiga se adaptar e alcançar os objetivos desejados”, explica.
A perfeição e a qualidade, sempre almejadas pelos produtores enxutos, podem, no entanto, apresentar custos mais altos quando a organização não sabe se preparar da maneira correta.  nesse momento que entra o processo de gestão de custos, que envolve tanto os conceitos desejados pela empresa, quanto pelo consumidor, que deseja produtos de grande qualidade, porém, com preços em conta.
Com um sistema de custeio e produção adequados, a organização é capaz de reduzir seus gastos e, por conseqüência, diminuir os valores que seriam anteriormente acrescentados na formação de preços dos produtos. Villela acredita que a primeira conseqüência da junção entre a produção enxuta e a gestão de custos é a redução do desperdício. “O primeiro ganho se dá quando a empresa é capaz de eliminar os desperdícios, diminuindo os custos automaticamente”, completa.
A partir de uma gestão eficaz, que tem por conseqüência custos de produção corretos e preços finais justos, a empresa é capaz de alcançar níveis maiores de competitividade perante seus concorrentes e facilita o processo de tomada de decisões tanto internamente, quanto externamente, ou seja, de um futuro consumidor.

Saiba mais sobre o curso de pós-graduação de Engenharia de Produção Enxuta do IETEC, clicando aqui.

Acesse nosso blog para mais artigos.